Fandom

Memória Alfa

A coisa mais sagrada

660 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

A coisa mais sagrada
STP2 10.jpg
Série Star Trek: Phase II
Número 17
Título original A coisa mais sagrada
Data de lançamento 15 de janeiro do 2016
Episódios
anterior
A peneira de mentes
seguinte
Desconhecido

A coisa mais sagrada é o episódio 17 da série fanon Star Trek: Phase II. Estreou-se em 15 de janeiro do 2016.

Argumento Editar

O capitão James T. Kirk encontra-se pela primeira vez com a carismática cientista Dra. Carol Marcus, especializada em terraformação. Carol é a mulher que num dia será a mãe de David, o filho de Kirk, e quem também quebrará o seu coração. A Dra. Marcus dirige um projecto de terraformação no planeta Lappa III que vai muito mal e devasta o planeta. Será que é culpa dela? Ou há uma misteriosa operação de mercado negro depois da catástrofe? Kirk e a tripulação da renovada USS Enterprise terão de pesquisá-lo.

Resumo detalhado Editar

72px-Portugu%C3%AAs.svg.png

O episódio começa no ano 2369, onde o capitão Montgomery Scott e uma alferes da nave USS Enterprise (NCC-1701-D) estão numa lançadeira, e Scott está a dar classes à rapariga. Ela pergunta a Scott como se sentiu ao saber que esteve apanhado num transportador 75 anos, e Scott fica triste porque todos os que ele conhece tinham morrido. Scott decide falar sobre coisas felizes, e a lançadeira passa perto do planeta Lappa III, e então Scott diz que ele já tinha estado aqui… No ano 2269, 100 anos no passado, sobre o planeta Lappa III, Scott está com a doutora Carol Marcus e o doutor Robert DeWit preparando a terraformação do planeta. Carol está zangada porque houve outro falhanço, e ao final Scott e a doutora Marcus decidem ir comprovar a torre de terraformação. Apanham uma lançadeira e saem da base de terraformação, e então a base explode. A explosão atinge a lançadeira, e Carol Marcus fica inconsciente. Scott envia uma mensagem de emergência à USS Enterprise, e a lançadeira cai e destrói-se…

Na USS Enterprise, o capitão James T. Kirk recolheu Scott e a doutora Marcus, e leva-os à enfermaria. O doutor Leonard McCoy está a tratar Scott, quem já acordou. Carol Marcus está inconsciente, mas estará fora da enfermaria antes de que Scott estiver melhor. Kirk vem falar com Scott, mas ele não sabe o que aconteceu. Kirk quer falar com a doutora Marcus, e McCoy diz que ela não está em condições para um interrogatório. Mas ela acorda, e Kirk informa-lhe que os seus colegas morreram. Ela fica triste, mas diz que tem de responder às perguntas de Kirk. Ela não sabe o que causou a explosão, e Kirk decide começar a investigação como um acidente. Carol Marcus diz que ela tem de fazer parte da investigação, porque os que morreram eram também os seus amigos, e ao final Kirk aceita e diz que Carol trabalhará com Spock. Ela diz-lhe que a chame “Carol”, e Kirk responde que ela o chame “Jim”. Mais tarde, McCoy e Kirk falam sobre a doutora Marcus, e McCoy diz que ela tem de ser tratada com cuidado e Spock não o saberá fazer. Mas Kirk fá-lo-á, e McCoy surpreende-se. Spock vem pedir a Kirk falar com a doutora Marcus, e diz que nada da matéria-antimatéria dos reactores disponíveis para o projecto é suficiente para evaporizar grande parte da superfície do planeta. Na ponte, detectam um sinal que poderia ser uma nave, mas não têm a certeza. Kirk pede para fazerem uma busca regular da região, porque se houver uma nave por aqui, pensarão que só estão a examinar o território. Na enfermaria, Spock vem falar com a doutora Marcus, e ela faz o saúdo vulcaniano. Quando Spock pede a Marcus comprovar toda a sua equipa de trabalho por uma possível sabotagem, ela zanga-se e vai-se embora. McCoy enfada-se com Spock porque acusou aos seus amigos de sabotar o projecto, e Spock diz que só tem de limpar toda a suspeita. Então McCoy diz que agora está a acusar que os vulcanianos não sabem tratar de nenhuma forma aos pacientes. Na ponte, Spock pede a Kirk baixar ao planeta, e Kirk diz que Marcus quererá ir também. Spock diz que não precisa da sua ajuda porque ela está a ter ataques emocionais, e diz que acusou aos seus amigos de sabotar o projecto. Kirk chama a McCoy e pergunta-lhe se há um treinamento de sensibilidade para os vulcanianos, e ele responde que é um médico, não um mago. Kirk vai-se embora da ponte e deixa o controlo a Scott.

No quarto de Carol, Kirk vem falar com ela, e desculpa-se por Spock. Ela diz que baixará ao planeta, e estará bem com ele. Logo falam do passado de Carol, e do que gostava de fazer. Carol diz que é como uma mãe, porque está a fazer nascer novos mundos. Kirk cita uma frase de Samuel Taylor Coleridge: “Uma mãe é ainda uma mãe, a coisa mais sagrada que dá vida”. Logo diz-lhe a Carol que o que aconteceu é parte do trabalho, e têm de aceitá-lo. E vai-se à ponte. Na sala do transportador, Spock e Carol Marcus encontram umas leituras, e vão a essas coordenadas. Sobre o planeta, Spock e Carol Marcus estão a investigar, e ela diz a Kirk que quando tiver mais informação, dir-lho-á a Kirk. Ela está a pensar em voz alta, e Spock diz que ela está triste pela morte dos seus amigos e por isso está assim, e diz que os vulcanianos sabem controlar as suas emoções, mas um humano não o poderia fazer igual. Enquanto isso, Kirk vem falar com McCoy, pedindo-lhe conselho psicológico, e fala sobre Carol. Sobre o planeta, Carol encontra um objecto, mas Spock tem um acidente no seu respirador e cai ao chão. Na Enterprise, Xon transporta Spock a bordo, e diz que Carol ficou sobre o planeta. Kirk diz que baixará sem nada ao planeta e apanhará Carol, e irá com o comunicador para detectá-lo melhor. Scott diz que não durará mais dum minuto, mas Kirk diz que só precisa de 15 segundos. Scott transporta-o, Kirk apanha Carol e voltam a bordo. Ela diz que foi uma enorme estupidez, e Kirk diz “De nada”. Spock diz que encontraram uma coisa que podem usar para a sua investigação. No quarto de Carol, há muitas plantas que têm bons aromas. Carol diz que veio a Lappa III para dar vida a partir da carência de vida, mas destruiu 26 vidas humanas. Kirk diz que ela é uma científica, não pode deixá-lo agora. Ela diz que tem razão, e Kirk e Carol beijam-se…

Spock e Carol estão a pesquisar. Carol diz que se fizer uma correlação cruzada no campo, poderá isolar as flutuações na estrutura quântica do lixo, e diz que foi um pressentimento. Spock diz que as partículas Skotak alternam entre matéria bariónica e não bariónica, mas isso não deveria ser possível. Carol diz que lho irá informar a Jim. No quarto de Kirk, ele está a falar com o almirante Withrow, e diz que precisam de 3 dias. Withrow diz que não têm 3 dias, a Frota Estelar quer organizar uma frota de guerra, e têm de ir depressa. Carol vem, e encontra a Kirk sem t-shirt. Kirk propõe comer, e Carol diz que já comeu. Kirk diz que deveriam jantar, mas realmente vão à cama e começam a foder. Spock encontra algo que não é normal no computador, e quer informar a Kirk. No quarto de Kirk, na cama, Carol e Kirk acordam, e Kirk está triste porque o assento do capitão é o assento mais solitário do universo. Na ponte, Scott informa a Kirk que as sondas subespaciais já estão em funcionamento. Kirk dá a ordem de iniciar um rumo através da nuvem de pó, e a Enterprise deixa a órbita e vai para a nuvem. No quarto de Kirk, já estão vestidos, e Spock vem informar que encontrou o que causou a explosão sobre Lappa III. Kirk diz que Carol também o tem de saber, e Spock diz que a explosão foi devida a que havia protomatéria. No entanto, Carol não o quer acreditar, e quer rever os dados de Spock. Ele diz que o seu trabalho é correcto, e Carol diz que os vulcanianos não se equivocam. Spock diz que se calhar houve uma sabotagem, e Carol enfada-se. Kirk diz que Spock permitirá à doutora Marcus rever o seu trabalho. Na ponte, Kirk diz que quando uma nave viaja a impulso acredite uma leve perturbação. Têm de buscar um rasto. Hikaru Sulu começa a buscar, e encontram um objecto, que resulta ser uma nave. Kirk tenta contactar com a nave, mas a nave começa a disparar à Enterprise…

A nave segue a disparar, mas os seus ataques são de baixa potência e não há danos. A nave não responde, e Kirk decide disparar à nave para que respondam. Então a nave inimiga diz que a Federação tentou mudar a ecossistema de Lappa III, e Kirk diz que poderiam partilhar as suas investigações. Os inimigos dizem que onde está o benefício nisso, eles só estão interessados no comércio porque são os ferengis. Então Kirk diz que poderiam negociar, mas precisam de informação. Os ferengis dizem que já negociaram com os membros da Federação anteriormente. Quando acaba a conversa, Spock diz que os ferengis têm umas orelhas muito raras, e que não há registos de contactos da Federação com os ferengis, mas não faz sentido que minta. Isto é, só havia um assentamento com o qual comerciar: a equipa de Lappa III. Kirk falará com Carol. No quarto de Carol, ela diz que não sabia nada dum mercado negro com os ferengis, e então zanga-se com Kirk e grita-lhe. Kirk diz que só quer saber com o que comerciavam, porque não sabem de onde veio a protomatéria. Carol diz que está triste pela morte dos seus amigos e por isso gritou a Kirk, mas não sabe nada. Na ponte, a alferes Sølgaard e Spock pesquisaram na nave alienígena e encontraram protomatéria, e a sabotagem não é uma opção lógica. Spock diz que não é rentável matar aos teus sócios, mas Kirk diz que tens a opção de não lhes dares a parte do manual onde diz: “Não fazer estourar tudo”. Segundo o relatório do senhor Scott, a equipa terraformadora atrasava-se. Kirk não sabe o que trocaram, e decide chamar de novo à nave ferengi e diz que Carol Marcus venha à ponte. Kirk fala com os ferengis, e eles estão de acordo a revelar informação em troca dalguma coisa, e dizem que eles entregaram um conjunto de matrizes de transportação melhoradas para a criação de protomatéria a Robert DeWit. Logo o ferengi diz que eles estão abertos sempre a negociar, e vão-se embora. Carol fica surpreendida porque descobriu que Robert DeWit negociou com os ferengis. Kirk fala com Carol Marcus, ela diz que se sente vazia sem o seu trabalho nem os seus amigos, e Kirk diz que se fosse a Enterprise sentir-se-ia igual. Kirk ordena pôr rumo à Base Estelar 26. 3 dias mais tarde, a Enterprise chega à Base Estelar 26. Carol vem falar com Kirk, para considerar a sua relação. Kirk pede casar-se com Carol, mas Carol recusa o seu pedido, porque a cada um tem um trabalho diferente. Carol não pode ficar na Enterprise, e não quer que Kirk deixe o seu posto porque no futuro arrepender-se-ia. Carol diz a Kirk que se afaste, pelo bem dos três. Kirk fica surpreendido porque Carol disse “três”, e ela revela que está grávida. Mas pede a Kirk que ele lhes deixe espaço, e vai-se do quarto de Kirk. Afora, Carol dá as graças a Scott, e ele diz-lhe que lá onde Carol for, sempre que quiser ter um lar, lá estará a Enterprise. E 100 anos no futuro, Scott diz o mesmo à rapariga oficial da Enterprise D, e acrescenta “Sem nenhuma maldita A, B, C ou D”. Diz-lhe que assim eram as viagens, e termina o episódio.

72px-Brasil.svg.png

O episódio começa no ano 2369, onde o capitão Montgomery Scott e uma alferes da nave USS Enterprise (NCC-1701-D) estão em uma nave auxiliar, e Scott está dando classes à garota. Ela pergunta a Scott como se sentiu ao saber que esteve preso em um transportador 75 anos, e Scott fica triste porque todos os que ele conhece tinham morrido. Scott decide falar sobre coisas felizes, e a nave auxiliar passa perto do planeta Lappa III, e então Scott diz que ele já tinha estado aqui… No ano 2269, 100 anos no passado, sobre o planeta Lappa III, Scott está com a doutora Carol Marcus e o doutor Robert DeWit preparando a terraformação do planeta. Carol está irritada porque teve uma outra falha, e ao final Scott e a doutora Marcus decidem ir comprovar a torre de terraformação. Pegam uma nave auxiliar e saem da base de terraformação, e então a base explode. A explosão alcança a nave auxiliar, e Carol Marcus fica inconsciente. Scott envia uma mensagem de emergência à USS Enterprise, e a nave auxiliar cai e é destruída…

Na USS Enterprise, o capitão James T. Kirk recolheu Scott e a doutora Marcus, e leva eles à enfermaria. O doutor Leonard McCoy está tratando a Scott, quem já acordou. Carol Marcus está inconsciente, mas estará fora da enfermaria antes de que Scott estiver melhor. Kirk vem falar com Scott, mas ele não sabe o que aconteceu. Kirk quer falar com a doutora Marcus, e McCoy diz que ela não está em condições para um interrogatório. Mas ela acorda, e Kirk lhe informa que seus colegas morreram. Ela fica triste, mas diz que tem que responder às perguntas de Kirk. Ela não sabe o que causou a explosão, e Kirk decide começar a investigação como um acidente. Carol Marcus diz que ela tem que fazer parte da investigação, porque os que morreram eram também seus amigos, e ao final Kirk aceita e diz que Carol trabalhará com Spock. Ela lhe diz que a chame de «Carol», e Kirk responde que ela o chame de «Jim». Mais tarde, McCoy e Kirk falam sobre a doutora Marcus, e McCoy diz que ela tem que ser tratada com cuidado e Spock não o saberá fazer. Mas Kirk o fará, e McCoy se surpreende. Spock vem pedir a Kirk falar com a doutora Marcus, e diz que nada da matéria-antimatéria dos reatores disponíveis para o projeto é suficiente para evaporizar grande parte da superfície do planeta. Na ponte, detectam um sinal que poderia ser uma nave, mas não têm certeza. Kirk pede para fazerem uma busca regular da região, porque se houver uma nave por aqui, pensarão que só estão examinando o território. Na enfermaria, Spock vem falar com a doutora Marcus, e ela faz o saúdo vulcaniano. Quando Spock pede a Marcus comprovar toda sua equipe de trabalho por uma possível sabotagem, ela fica irritada e vai embora. McCoy fica irritado com Spock porque acusou seus amigos de sabotar o projeto, e Spock diz que só deve limpar toda suspeita. Então McCoy diz que agora está acusando que os vulcanianos não sabem tratar de nenhuma forma aos pacientes. Na ponte, Spock pede a Kirk baixar ao planeta, e Kirk diz que Marcus quererá ir também. Spock diz que não precisa de sua ajuda porque ela está tendo ataques emocionais, e diz que acusou seus amigos de sabotar o projeto. Kirk chama a McCoy e pergunta se tem um treinamento de sensibilidade para os vulcanianos, e ele responde que é um médico, não um mágico. Kirk vai embora da ponte e deixa o controle a Scott.

No quarto de Carol, Kirk vem falar com ela, e se desculpa por Spock. Ela diz que baixará ao planeta, e estará bem com ele. Depois falam do passado de Carol, e do que gostava de fazer. Carol diz que é como uma mãe, porque está fazendo nascer novos mundos. Kirk cita uma frase de Samuel Taylor Coleridge: “Uma mãe é ainda uma mãe, a coisa mais sagrada que dá vida”. Depois diz a Carol que o que aconteceu é parte do trabalho, e tem que o aceitar. E vai à ponte. Na sala do transportador, Spock e Carol Marcus encontram umas leituras, e vão a essas coordenadas. Sobre o planeta, Spock e Carol Marcus estão pesquisando, e ela diz a Kirk que quando tiver mais informação, informará a Kirk. Ela está pensando em voz alta, e Spock diz que ela está triste pela morte de seus amigos e por isso está assim, e diz que os vulcanianos sabem controlar suas emoções, mas um humano não o poderia fazer igual. Enquanto isso, Kirk vem falar com McCoy, pedindo conselho psicológico, e fala sobre Carol. Sobre o planeta, Carol encontra um objeto, mas Spock tem um acidente em seu respirador e cai ao chão. Na Enterprise, Xon transporta Spock a bordo, e diz que Carol ficou sobre o planeta. Kirk diz que baixará sem nada ao planeta e pegará Carol, e irá com o comunicador para o detectar melhor. Scott diz que não durará mais de um minuto, mas Kirk diz que só precisa de 15 segundos. Scott transporta ele, Kirk pega Carol e voltam a bordo. Ela diz que foi uma enorme estupidez, e Kirk diz “De nada”. Spock diz que encontraram uma coisa que podem usar para sua investigação. No quarto de Carol, há muitas plantas que têm bons aromas. Carol diz que veio a Lappa III para dar vida a partir da carência de vida, mas destruiu 26 vidas humanas. Kirk diz que ela é uma cientista, não pode o deixar agora. Ela diz que tem razão, e Kirk e Carol se beijam…

Spock e Carol estão pesquisando. Carol diz que se fizer uma correlação cruzada no campo, poderá isolar as flutuações na estrutura quântica do lixo, e diz que foi um pressentimento. Spock diz que as partículas Skotak alternam entre matéria bariônica e não bariônica, mas isso não deveria ser possível. Carol diz que irá informar isso a Jim. No quarto de Kirk, ele está falando com o almirante Withrow, e diz que precisam de 3 dias. Withrow diz que não têm 3 dias, a Frota Estelar quer organizar uma frota de guerra, e têm de ir depressa. Carol vem, e encontra a Kirk sem t-shirt. Kirk propõe comer, e Carol diz que já comeu. Kirk diz que deveriam jantar, mas realmente vão à cama e começam a foder. Spock encontra algo que não é normal no computador, e quer informar a Kirk. No quarto de Kirk, na cama, Carol e Kirk acordam, e Kirk está triste porque o assento do capitão é o assento mais solitário do universo. Na ponte, Scott informa a Kirk que as sondas subespaciais já estão em funcionamento. Kirk dá a ordem de iniciar um rumo através da nuvem de pó, e a Enterprise deixa a órbita e vai para a nuvem. No quarto de Kirk, já estão vestidos, e Spock vem informar que encontrou o que causou a explosão sobre Lappa III. Kirk diz que Carol também tem que saber, e Spock diz que a explosão foi devida a que tinha protomatéria. Porém Carol não quer acreditar nisso, e quer verificar os dados de Spock. Ele diz que seu trabalho é correto, e Carol diz que os vulcanianos não se equivocam. Spock diz que talvez teve uma sabotagem, e Carol fica irritada. Kirk diz que Spock permitirá à doutora Marcus revisar seu trabalho. Na ponte, Kirk diz que quando uma nave viaja a impulso cria uma leve perturbação. Têm que buscar um rastro. Hikaru Sulu começa a buscar, e encontram um objeto, que resulta ser uma nave. Kirk tenta contatar com a nave, mas a nave começa a disparar à Enterprise…

A nave segue disparando, mas seus ataques são de baixa potência e não há danos. A nave não responde, e Kirk decide disparar à nave para que respondam. Então a nave inimiga diz que a Federação tentou mudar a ecossistema de Lappa III, e Kirk diz que poderiam compartilhar suas investigações. Os inimigos dizem que onde está o benefício nisso, eles só estão interessados no comércio porque são os ferengis. Então Kirk diz que poderiam negociar, mas precisam de informação. Os ferengis dizem que já negociaram com os membros da Federação anteriormente. Quando acaba a conversa, Spock diz que os ferengis têm umas orelhas muito raras, e que não tem registros de contatos da Federação com os ferengis, mas não faz sentido que minta. Isto é, só tinha um assentamento com o qual comerciar: a equipe de Lappa III. Kirk falará com Carol. No quarto de Carol, ela diz que não sabia nada de um mercado negro com os ferengis, e então se enfada com Kirk e lhe grita. Kirk diz que só quer saber com o que comerciavam, porque não sabem de onde veio a protomatéria. Carol diz que está triste pela morte de seus amigos e por isso gritou a Kirk, mas não sabe nada. Na ponte, a alferes Sølgaard e Spock pesquisaram na nave alienígena e encontraram protomatéria, e a sabotagem não é uma opção lógica. Spock diz que não é rentável matar seus sócios, mas Kirk diz que tem a opção de não lhes dar a parte do manual onde diz: “Não fazer estourar tudo”. Segundo o relatório do senhor Scott, a equipe terraformadora estava se atrasando. Kirk não sabe o que trocaram, e decide chamar de novo à nave ferengi e diz que Carol Marcus venha à ponte. Kirk fala com os ferengis, e eles estão de acordo a revelar informação em troca de alguma coisa, e dizem que eles entregaram um conjunto de matrizes de transportação melhoradas para a criação de protomatéria a Robert DeWit. Logo o ferengi diz que eles estão abertos sempre a negociar, e vão embora. Carol fica surpreendida porque descobriu que Robert DeWit negociou com os ferengis. Kirk fala com Carol Marcus, ela diz que se sente vazia sem seu trabalho nem seus amigos, e Kirk diz que se fosse a Enterprise se sentiria igual. Kirk ordena pôr rumo à Base Estelar 26. 3 dias mais tarde, a Enterprise chega à Base Estelar 26. Carol vem falar com Kirk, para considerar sua relação. Kirk pede para casar com Carol, mas Carol recusa seu pedido, porque a cada um tem um trabalho diferente. Carol não pode ficar na Enterprise, e não quer que Kirk deixe seu posto porque no futuro se arrependeria. Carol diz a Kirk que se afaste, pelo bem dos três. Kirk fica surpreendido porque Carol disse “três”, e ela revela que está grávida. Mas pede a Kirk que ele lhes deixe espaço, e vai embora do quarto de Kirk. Afora, Carol dá as graças a Scott, e ele lhe diz que lá onde Carol for, sempre que quiser ter um lar, lá estará a Enterprise. E 100 anos no futuro, Scott diz o mesmo à garota oficial da Enterprise D, e acrescenta “Sem nenhuma maldita A, B, C ou D”. Diz que assim eram as viagens, e termina o episódio.

Elenco Editar

Principais Editar

Convidados Editar

  • Jacy King como Dra. Carol Marcus
  • Clay Sayre como Capitão Ferengi

Baixadas Editar

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória