Fandom

Memória Alfa

Inimigo: Frota Estelar

660 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Inimigo: Frota Estelar
STP2 6.jpg
Série Star Trek: Phase II
Número 6
Título original Enemy: Starfleet
Data de lançamento 22 de abril do 2011
Episódios
anterior
Sangue e fogo
seguinte
A criança

Inimigo: Frota Estelar é o sexto episódio da série fanon Star Trek: Phase II. Estreou-se em 22 de abril do 2011.

Argumento Editar

Data estelar 7232.5. Atacado enquanto explorava um novo sector do espaço, o capitão Kirk e a sua tripulação encontram-se em meio duma guerra. A nave estelar USS Eagle, perdida 8 anos antes, está agora nas mãos duma mulher que a usa como arma de destruição em massa na sua louca busca pela dominação. A USS Enterprisepode ser a única nave capaz de detê-la.

Resumo detalhado Editar

72px-Portugu%C3%AAs.svg.png

Introdução Editar

Data estelar 7232.5. O episódio começa num planeta remoto, onde a Enterprise está em órbita. Levam duas semanas a cartografar um sector inexplorado, e há um jazigo rico em Uridium neste planeta desabitado. Uma equipa de saída está a investigar. Na superfície do planeta, James T. Kirk e Leonard McCoy falam sobre a importância do Uridium na Federação para construir naves, apesar de ser instável. Kirk olha ao seu sobrinho Peter Kirk, e diz que Alex era tudo para ele. McCoy começa a psicoanalzar Kirk, dizendo que tanto o sobrinho como o tio ignoram o que não podem controlar, e centrar-se no trabalho não fará com que a pena desapareça. Mas Kirk ignora-o, McCoy diz que estão a falar, e Kirk diz que isto não é falar, é psicoanalizar.

Spock vem dizer que as primeiras sondagens mostram um depósito rico perto da superfície, e extraí-lo levará pouco perigo. É um achado extraordinário. Kirk dá a ordem de sinalizar o jazigo e acabar, e contacta com a Enterprise. Mas alguém interfere o sinal do comunicador perto de onde se encontram, e então começam a atacar-lhes com tiros desde o céu. O chefe de segurança R.L. Dickerson recebe um impacto dum tiro e morre. McCoy pergunta o que demónios está a acontecer aqui, e Kirk responde que a pergunta é o que demónios está a acontecer arriba no espaço. E umas naves desconhecidas disparam à Enterprise…

Acto 1 Editar

Em órbita do planeta, a Enterprise segue a ser atacada por naves de origem desconhecida, enquanto Vincent DeSalle está ao comando da nave e ordena devolver o fogo com fásers a média potência. As armas dos agressores são neutralizadas, e DeSalle ordena a Nyota Uhura contactar com a equipa em terra e a Xon preparar a sala do transportador, mas ainda não há contacto com o planeta. No planeta, Peter sai para ver Dickerson e recebe um tiro na perna. Kirk também sai para ver como está o seu sobrinho, e Pavel Chekov protege-lhe e dispara a um atacante. Spock diz que os atacantes se retiram, mas as comunicações seguem interferidas por um dispositivo na superfície. Kirk ordena-lhe encontrá-lo, e Spock encontra-o e desliga-o. Kirk fala com o atacante que dispararam, perguntando quem é. Mas ele só responde que toda a espécie de Kirk pagá-lo-ão. Os atacantes apanham uma lançadeira e abandonam o sistema. Kirk contacta com a Enterprise e ordena a DeSalle que lhes subam e trace um rumo para perseguir a nave alienígena.

Na Enterprise, Montgomery Scott diz que as naves atacantes são mais rápidas, e Kirk pergunta-lhe a McCoy sobre o atacante, e está sedado. Logo falam de Peter, quem estava distraído. McCoy diz que Kirk também estava distraído, e Kirk diz que precisa do seu Chefe Médico para atender as suas obrigações na nave. Logo vêm mais 9 naves em rumo de intersecção. Kirk ordena a Uhura abrir um canal, e Kirk fala aos atacantes. Mas não respondem e seguem disparando, e concentram os seus disparos numa zona próxima em estibordo, onde conseguirão abrir uma brecha nos escudos. Parece que conhecem as configurações da nave. Kirk pede a Chekov disparar como um aviso com fásers a média potência, mas são mais frágeis do esperado: uma nave inimiga tem danos graves e perde suporte vital. Outra perdeu os motores de dobra.

Kirk pede a Segurança da enfermaria que tragam ao prisioneiro à ponte. O prisioneiro apresenta-se como Alkar Kyril, comandante adjunto da Nona Frota Peshana, e não quer dizer-lhes mais. Alkar Kyril pergunta se são o novo brinquedo de Alersa, e Kirk diz que não conhece essa Alersa. Ele acha que são são meskanos e estão a usar os seus truques mentais, e Kirk diz que não são meskanos, representam à Federação Unida dos Planetas numa missão pacífica. Uma nave dos atacantes é destruída, e Alkar Kyril grita que a nave tinha 200 pessoas. Chekov diz que a Enterprise não disparou, e então aparece outra nave com aspecto das naves da Federação que está a atacar às naves peshanas depressa.

Acto 2 Editar

A nave que destrói aos peshanos é a USS Eagle, que desapareceu há 8 anos com toda a sua tripulação no outro extremo do quadrante, e tem modificações importantes. Kirk ordena a Scott alargar os escudos da Enterprise para proteger aos peshanos, mas outra nave peshana é destruída. Kirk ordena a segurança deixar livre a Alkar Kyril, e que diga à sua gente que lhes tentam proteger. Mas ele responde que não escutarão, acreditarão que é um truque mental. A Enterprise usa o seu raio tractor para proteger uma nave, mas não podem e a Eagle destrói-a. Kirk ordena apontar à Eagle com os fásers, e a Eagle também lhes aponta com os fásers e com os disruptores.

Spock pergunta pelos códigos de controlo da Eagle, e Spock diz que os códigos de controlo podem permanecer intactos, mas as ligações de comunicação nave a nave estão interferidos. Kirk ordena a Spock mudar os códigos da Enterprise. O comandante Kyril diz que Alersa está ao mando da nave, e com a sua tripulação interceptam naves obrigando às mentes inocentes a agir à sua vontade. São psicomorfos, apropriam-se das percepções submetendo às mentes mais débeis. Os meskanos repudiavam aos que tinham esse poder, mas agora tomaram o controlo e nomearam Alersa como a sua salvadora, já que antigamente os peshanos submeteram os meskanos. Alersa busca agora vingança, e destruíram a frota de 700 naves a menos de 70.

Chekov é ferido na mão, e McCoy leva-lho à enfermaria. Kirk ordena disparar à coberta 24, onde não há escudos blindados. Danam a sua coberta de carga, onde a fuga de refrigerante afecta aos subsistemas de armamento. Normalmente não é um problema, mas afectará as suas armas. A Eagle decide contactar com a Enterprise, e Kirk decide esperar. Na enfermaria, McCoy diz a uma enfermeira que paralise os dedos de Chekov para que estejam parados, e Chekov fala com Peter. Ele diz-lhe que a sua carreira está perdida, e pensa que o seu tio já está a redigir a sua ordem de deslocação, e foi um erro. Chekov diz que os erros são uma experiência da que aprender. Trata-se de analisá-los, não de lamentá-los. McCoy diz que pode ir-se embora, mas ordena-lhe aproveitar o descanso. Logo diz-lhe a Chekov que também se pode ir embora.

Na ponte, Chekov volta e fala com Hikaru Sulu. Kirk contacta com Alersa, e Kyril adverte do perigo. Alersa pensa que é o capitão Pike, e Kirk corrige-a e diz-lhe que devolva a nave. Alersa diz que poderiam discutir um acordo de demissão do fogo na Eagle. Kirk diz que poderia cortar-se o pescoço agora e poupar-se as moléstias, e Alersa tenta convencê-lo. Kyril diz a Alersa que Kirk não cairá, e Alersa lembra-lhe que na sua família já não fica ninguém. Kirk fala do transportador, e Alersa propõe que Kirk ajude-a a decifrá-lo. Kirk nega-se, e desliga a transmissão. Alersa vê que os códigos estão corruptos, ou são diferentes, e diz que Kirk é um rapaz listo e formidável. Andoch pergunta se gosta dele, e Alersa diz que o poderia matar por dizer isso. Logo pergunta-lhe a Condris quanto falta para alguma coisa, e ele diz que pouco. Na Enterprise, Kirk diz que Alersa não é parva, sabia que os códigos podem ser mudados e está a entreter-lhes. Kyril diz que os seus relatórios de inteligência indicam que Alersa desenvolveu uma nova nave de combate. Achavam que a sua nave era uma delas e por isso atacaram-lhes. A Eagle chama de novo, e Alersa ameaça-lhes mostrando novas naves potentes prestes a atacar a Enterprise…

Acto 3 Editar

Mediante tecnologia inversa, os meskanos criaram as suas próprias naves estelares, uma Frota Estelar inimiga. Seguem os ataques entre peshanos e meskanos, e Scott precisa duma hora para arranjar os motores. Kirk propõe fazer uma sobrecarga, mas também inutilizaria os sensores da Enterprise ficando indefesos ante o ataque das forças peshanas e meskanas. Fazem a sobrecarga, e ambas as naves ficam cegas. Os peshanos recuperam os sensores. Kirk pede a Uhura informação dos registos da Eagle. Kirk e McCoy vão-se embora da ponte, e McCoy diz a Kirk que deveria falar com Peter. Na cabine de Peter, Kirk vem dizer-lhe que está a ser um bocadinho duro pelo incidente no planeta. Logo diz-lhe que Alex Freeman não quereria que Peter arriscasse a vida pelo seu recordo, e não está sozinho. Tem de lembrar a Alex vivendo, como Kirk fez anteriormente.

Na Eagle, Voral diz a Alersa que substituíram alguns circuitos, mas não todos e precisam de tempo. Alersa interrompe-lhe e diz-lhe que se lhe falhar, matá-lo-á. Voral promete-lhe com a sua vida que não lhe falhará e arranjará os sensores. Na Enterprise, Peter fala com um oficial pelo posto de Chefe de Segurança, e o oficial responde-lhe que Peter poderia ajudar Scott.

Na sala de reuniões, descobrem que um defeito nos cristais de dilítio da Eagle causou um desequilíbrio nos motores, criando um buraco de verme que os deslocou através do quadrante. Os meskanos enganaram-nos, abordaram-nos e mataram o capitão andoriano da nave. Kyril explica que a sua mulher Shati estava controlada por Alersa, e assassinou muita gente. Para evitar uma matança, Kyril teve de ordenar a morte da sua esposa. Spock detecta que uma frota de naves meskanas está a dirigir-se ao planeta natal dos peshanos, e também diz que as análises dos registos da Eagle indicam que esta zona é muito sensível a rupturas sub-espaciais. Se forem modificados os motores, produzir-se-á uma ruptura temporária do sub-espaço fazendo impossível viajar em dobra. Mas necessitar-se-á um sabotador na Eagle. Para ser efectiva, a ruptura tem de produzir-se em ambos os sistemas estelares. e desconhecem o tempo que durará. McCoy diz que isto os isolaria, e seguro que não todos os meskanos apoiam esta guerra. Morrerão muitos. Kirk está de acordo com o doutor, têm de tomar uma decisão que não só afectará esta geração, não se sabe quantas mais afectará. Não podem condenar duas culturas assim. Xon diz que a Eagle se foi embora, e Kirk ordena-lhe encontrá-la.

Acto 4 Editar

Data estelar 7232.8. O comandante Kyril contactou com o seu governo, e aprovaram o plano de desestabilização do sub-espaço. A frota 6 foi destruída, e nada poderá impedir a destruição dos peshanos. Chekov propõe reforçar a potência dos fásers desde os motores de dobra. Scott diz que só aguentarão um minuto ou dois, e Kirk diz que será suficiente. Spock diz que hão-de sincronizar escapar da zona morta que se criará e conseguir um desequilíbrio como o que criou ao buraco de verme e trouxe a Eagle para este sistema. Necessitar-se-ão dois sabotadores, e Kirk diz que irá com Peter, e Spock ficará na Enterprise por se o plano não tiver sucesso. Kyril decide ficar fora da zona morta, à procura duma solução. Kirk ordena a Kyle activar os «fásers de dobra», e disparam à Eagle. Mas a Eagle desliga as armas da Enterprise.

Kirk contacta com Alersa, e propõem-lhe ver-se em pessoa. Os controlos do transportador são modificados para poderem enviar ambos os sinais à vez, e o segundo sinal não será detectado. Transportarão Peter num tubo Jefferies, e os dois sabotadores terão objectos subcutâneos para poderem ser localizados. Os dois são transportados, e McCoy fala sobre os dois Kirks. Na Eagle, Kirk chega, e Alersa decide que venha à sua cabine, e diz-lhe a Andoch que não pense. Quando entra na cabine de Alersa, Kirk deixa de ser detectado desde a Enterprise, e Spock diz que se não o puderem encontrar, terão de deixá-lo.

Na cabine de Alersa, ela diz aos guardas que lhes deixem sós, e Kirk surpreende-se. Alersa começa a tentar controlar Kirk, perguntando por que está na Eagle, e Kirk resiste às ilusões de Alersa. Kirk diz-lhe a Alersa que o chame «Jim», e Alersa diz-lhe que Kirk confiou nela desde que se conheceram, No final, Kirk e Alersa acabam com um beijo. Mas Kirk consegue completar as modificações. Alersa acha que tem Kirk sob o seu controlo, e Kirk quer dar-lhe o transportador. Mas é um truque, Kirk apanha a arma de Alersa e deixa inconsciente aos guardas. Kirk diz a Alersa que isto não o faria com outra mulher, e também a deixa inconsciente com a arma. Peter vem dizer que veio buscar-lhe porque não há sinal do seu localizador, e configurou o detonador para activá-lo a distância. Os dois entram na cabine de Alersa, e acabam a missão. Quando Alersa vem, Spock transporta aos dois Kirks na Enterprise e activam o desequilíbrio espacial. Cria-se um buraco de verme, e Alersa lamenta ter perdido e ter sido enganada, e a Enterprise chega a espaço da Federação. Kirk diz-lhe a Kyril que se fez justiça, mas Kyron não está do todo satisfeito porque Alersa segue viva.

Acto 5 Editar

Data estelar 7233.1. Os reparos estão quase completos. A Frota Estelar reúne uma equipa que irá ao espaço peshano, e a zona morta abarca totalmente os sistemas peshano e meskano por tempo desconhecido. Kirk chama a Chekov, e diz que a sua ideia de canalizar os fásers através dos motores de dobra inutilizou por completo todos os sistemas de armamento, mas salvou a nave. Logo diz-lhe que Chekov é só o navegante mas vê coisas que os demais não vêem, e a sua atitude é pessimista. Chekov acha que o decepcionou, mas Kirk nomeia-o Chefe de Segurança ademais das suas obrigações como navegante, e porá a Peter sob o seu comando. Logo Kirk fala de como é Peter, e detecta que Chekov está a lembrar-lhe de alguém. Chekov não pensa e diz que se lembra de Kirk.

Alkar Kyril despede-se antes de transportar-se à USS Lexington, onde agora trabalhará, e agradece-lhes a ajuda da Enterprise com a guerra dos meskanos. Especialmente a Kirk por arriscar-se a confrontar-se ao poder de Alersa. Kirk diz que se calhar não há solução, mas era necessário deter o massacre. Despede-se, e transporta-se. Spock diz que os peshanos são um povo valente ao adoptar uma solução que apresenta desafios tão complexos. Kirk diz que precisarão de ter muito valor para trabalharem juntos pelo bem comum, e termina o episódio.

72px-Brasil.svg.png

Introdução Editar

Data estelar 7232.5. O episódio começa em um planeta remoto, onde a Enterprise está em órbita. Levam duas semanas cartografiando um setor inexplorado, e há mostram um jazigo rico em Uridium nesse planeta desabitado. Uma equipe de saída está pesquisando. Na superfície do planeta, James T. Kirk e Leonard McCoy falam sobre a importância do Uridium na Federação para construir naves, apesar de ser instável. Kirk olha seu sobrinho Peter Kirk, e diz que Alex era todo para ele. McCoy começa a psicoanalzar a Kirk, dizendo que tanto o sobrinho como o tio ignoram o que não podem controlar, e se centrar no trabalho não fará com que a pena desapareça. Mas Kirk está ignorando, McCoy diz que estão falando, e Kirk diz que isto não é falar, é psicoanalizar.

Spock vem dizer que as primeiras sondagens mostram um depósito rico na superfície, e o extrair implicará pouco perigo. É um achado extraordinário. Kirk dá a ordem de sinalizar o jazigo e acabar, e contata com a Enterprise. Mas alguém interfere o sinal do comunicador perto de onde se encontram, e então começam a ser atacados com tiros desde o céu. O chefe de segurança R.L. Dickerson recebe um impacto de um tiro e morre. McCoy pergunta o que diabos está acontecendo aqui, e Kirk responde que a pergunta é o que diabos está acontecendo acima no espaço. E umas naves desconhecidas disparam à Enterprise…

Ato 1 Editar

Em órbita do planeta, a Enterprise continua sendo atacada por naves de origem desconhecido, enquanto Vincent DeSalle está ao comando da nave e ordena devolver o fogo com fêiseres a média potência. As armas dos agressores são neutralizadas, e DeSalle ordena a Nyota Uhura contatar com a equipe em terra e a Xon preparar a sala do transportador, mas ainda não há contato com o planeta. No planeta, Peter sai para ver a Dickerson e recebe um tiro na perna. Kirk também sai para ver como está seu sobrinho, e Pavel Chekov lhe protege e dispara a um atacante. Spock diz que os atacantes se retiram, mas as comunicações seguem interferidas por um dispositivo na superfície. Kirk ordena encontrá-lo, e Spock encontra e desliga o dispositivo. Kirk fala com o atacante que dispararam, perguntando quem é. Mas ele só responde que toda a espécie de Kirk o pagarão. Os atacantes pegam uma nave auxiliar e abandonam o sistema. Kirk contata com a Enterprise e ordena a DeSalle subir e traçar uma rota para perseguir a nave alienígena.

Na Enterprise, Montgomery Scott diz que as naves atacantes são mais rápidas, e Kirk pergunta a McCoy sobre o atacante, e está sedado. Depois falam de Peter, quem estava distraído. McCoy diz que Kirk também estava distraído, e Kirk diz que precisa de seu Chefe Médico para atender suas obrigações na nave. Depois vêm mais 9 naves em curso de interseção. Kirk ordena a Uhura abrir um canal, e Kirk fala aos atacantes. Mas não respondem e seguem disparando, e concentram seus disparos em uma zona próxima da nacelle de estibordo, onde conseguirão abrir uma abertura nos escudos. Parece que conhecem as configurações da nave. Kirk pede a Chekov disparar como um aviso com fêiseres a média potência, mas são mais frágeis do esperado: uma nave inimiga tem danos graves e perde suporte vital. Outra perdeu os motores de dobra.

Kirk pede a Segurança da enfermaria trazerem o prisioneiro à ponte. O prisioneiro apresenta-se como Alkar Kyril, comandante anexo da Nona Frota Peshana, e não quer lhes dizer mais. Alkar Kyril pergunta se são o novo brinquedo de Alersa, e Kirk diz que não conhece essa Alersa. Ele acha que são são meskanos e estão usando seus truques mentais, e Kirk diz que não são meskanos, representam à Federação Unida dos Planetas em uma missão pacífica. Uma nave dos atacantes é destruída, e Alkar Kyril grita que a nave tinha 200 pessoas. Chekov diz que a Enterprise não disparou, e então aparece outra nave com aspecto das naves da Federação que está atacando às naves peshanas depressa.

Ato 2 Editar

A nave que destrói aos peshanos é a USS Eagle, que desapareceu há 8 anos com toda sua tripulação no outro extremo do quadrante, e tem modificações importantes. Kirk ordena a Scott alargar os escudos da Enterprise para proteger aos peshanos, mas outra nave peshana é destruída. Kirk ordena a segurança deixar livre a Alkar Kyril, e que diga à sua gente que tentam lhes proteger. Mas ele responde que não escutarão, acreditarão que é um truque mental. A Enterprise usa seu raio tractor para proteger uma nave, mas não podem e a Eagle a destrói. Kirk ordena apontar à Eagle com os fásers, e a Eagle também está lhes apontando com os fêiseres e com os disruptores.

Spock pergunta pelos códigos de controle da Eagle, e Spock diz que os códigos de controle podem permanecer intatos, mas os enlaces de comunicação nave a nave estão interferidos. Kirk ordena a Spock mudar os códigos da Enterprise. O comandante Kyril diz que Alersa está ao comando da nave, e com sua tripulação interceptam naves obrigando às mentes inocentes a agir à sua vontade. São psicomorfos, se apropriam das perceções submetendo às mentes mais débeis. Os meskanos repudiavam aos que tinham esse poder, mas agora tomaram o controle e nomearam Alersa como sua salvadora, já que antigamente os peshanos submeteram aos meskanos. Alersa busca agora vingança, e destruíram a frota de 700 naves a menos de 70.

Chekov é ferido na mão, e McCoy leva ele à enfermaria. Kirk ordena disparasse à coberta 24, onde não há escudos blindados. Danam sua coberta de carga, onde a fuga de refrigerante afeta aos subsistemas de armamento. Normalmente não é um problema, mas afetará a suas armas. A Eagle decide contatar com a Enterprise, e Kirk decide esperar. Na enfermaria, McCoy diz a uma enfermeira que paralise os dedos de Chekov para que fiquem quietos, e Chekov fala com Peter. Ele diz que sua carreira está perdida, e pensa que seu tio já está redigindo sua ordem de translado, e foi um erro. Chekov diz que os erros são uma experiência da que aprender. Trata-se de analisá-los, não de lamentá-los. McCoy diz que pode ir embora, mas ordena aproveitar o descanso. Depois diz a Chekov que também pode ir embora.

Na ponte, Chekov volta e fala com Hikaru Sulu. Kirk contata com Alersa, e Kyril adverte ele do perigo. Alersa pensa que é o capitão Pike, e Kirk a corrige e diz que devolva a nave. Alersa diz que poderiam discutir um acordo de alto o fogo na Eagle. Kirk diz que pode se cortar o pescoço agora e se poupar as moléstias, e Alersa tenta o convencer. Kyril diz a Alersa que Kirk não cairá, e Alersa lhe lembra que em sua família já não fica ninguém. Kirk fala do transportador, e Alersa propõe que Kirk a ajude a decifrar isso. Kirk nega-se, e desliga a transmissão. Alersa vê que os códigos estão corruptos, ou são diferentes, e diz que Kirk é um garoto listo e formidável. Andoch pergunta se gosta dele, e Alersa diz que poderia matá-lo por dizer disso. Depois pergunta a Condris quanto falta para alguma coisa, e ele diz que pouco. Na Enterprise, Kirk diz que Alersa não é tonta, sabia que os códigos podem ser mudados e está lhes entretendo. Kyril diz que seus relatórios de inteligência indicam que Alersa desenvolveu uma nova nave de combate. Achavam que sua nave era uma delas e por isso lhes atacaram. A Eaglechama de novo, e Alersa ameaça mostrando novas naves potentes prestes a atacar a Enterprise…

Ato 3 Editar

Mediante tecnologia inversa, os meskanos criaram suas próprias naves estelares, uma Frota Estelar inimiga. Seguem os ataques entre peshanos e meskanos, e Scott precisa de uma hora para arranjar os motores. Kirk propõe fazer uma sobrecarga, mas também inutilizaria os sensores da Enterprise ficando indefesos ante o ataque das forças peshanas e meskanas. Fazem a sobrecarga, e ambas naves ficam cegas. Os peshanos recuperam os sensores. Kirk pede a Uhura informação dos registros da Eagle. Kirk e McCoy vão embora da ponte, e McCoy diz a Kirk que deveria falar com Peter. Na habitação de Peter, Kirk vem dizer que está sendo um pouco duro pelo incidente no planeta. Depois diz que Alex Freeman não quereria que Peter arriscasse a vida por sua lembrança, e não está sozinho. Tem que lembrar a Alex vivendo, como Kirk fez anteriormente.

Na Eagle, Voral diz a Alersa que substituíram alguns circuitos, mas não todos e precisam de tempo. Alersa interrompe e dize que se lhe falhar, o matará. Voral promete com sua vida que não lhe falhará e arranjará os sensores. Na Enterprise, Peter fala com um oficial pelo posto de Chefe de Segurança, e o oficial responde que Peter poderia ajudar Scott.

Na sala de reuniões, descobrem que um defeito nos cristais de dilítio da Eagle causou um desequilíbrio nos motores, criando um buraco de verme que os deslocou através do quadrante. Os meskanos enganaram-nos, abordaram-nos e mataram ao capitão andoriano da nave. Kyril explica que sua mulher Shati estava controlada por Alersa, e assassinou muita gente. Para evitar uma matança, Kyril teve que ordenar a morte de sua esposa. Spock detecta que uma frota de naves meskanas se dirigem ao planeta natal dos peshanos, e também diz que as análises dos registros da Eagle indicam que esta zona é muito sensível a rupturas subespaciais. Se forem modificados os motores, se produzirá uma ruptura temporária do subespaço fazendo impossível viajar em dobra. Mas se precisará um sabotador na Eagle. Para ser efetiva, a ruptura tem que se produzir em ambos sistemas estelares. e desconhecem o tempo que durará. McCoy diz que isto os isolaria, e seguro que não todos os meskanos apoiam esta guerra. Morrerão muitos. Kirk concorda com o doutor, têm que tomar uma decisão que não só afetará a esta geração, não se sabe quantas mais. Não podem condenar a duas culturas assim. Xon diz que a Eagle se foi embora, e Kirk ordena encontrá-la.

Ato 4 Editar

Data estelar 7232.8. O comandante Kyril contatou com seu governo, e aprovaram o plano de desestabilização do subespaço. A frota 6 foi destruída, e nada poderá impedir a destruição dos peshanos. Chekov propõe reforçar a potência dos fêiseres desde os motores de dobra. Scott diz que só aguentarão um minuto ou dois, e Kirk diz que será suficiente. Spock diz que devem sincronizar escapar da zona morrida que se criará e conseguir um desequilíbrio como o que criou ao buraco de verme e trouxe a Eagle para este sistema. Precisarão de dois sabotadores, e Kirk diz que irá com Peter, e Spock ficará na Enterprise por se o plano não tiver sucesso. Kyril decide ficar fora da zona morta, à procura de uma solução. Kirk ordena a Kyle ativar os «fêiseres de dobra», e disparam à Eagle. Mas a Eagle desliga as armas da Enterprise.

Kirk contata com Alersa, e propõe um encontro em pessoa. Os controles do transportador são modificados para poderem enviar ambos sinais ao mesmo tempo, e o segundo sinal não será detectado. Transportarão Peter em um tubo Jefferies, e os dois sabotadores terão objetos subcutâneos para poderem ser localizados. Os dois são transportados, e McCoy fala sobre os dois Kirks. Na Eagle, Kirk chega, e Alersa decide que venha em sua cabine, e diz a Andoch que não pense. Quando entra na cabine de Alersa, Kirk deixa de ser detectado desde a Enterprise, e Spock diz que se não o puderem encontrar, terão que deixar ele.

Na cabine de Alersa, ela diz aos guardas para lhes deixarem sozinhos, e Kirk se surpreende. Alersa começa a tentar controlar Kirk, perguntando por que está na Eagle, e Kirk se resiste às ilusões de Alersa. Kirk diz a Alersa que o chame de «Jim», e Alersa diz que Kirk confiou nela desde que se conheceram, Ao final, Kirk e Alersa acabam se beijando. Mas Kirk consegue completar as modificações. Alersa acha que tem Kirk sob seu controle, e Kirk quer lhe dar o transportador. Mas é um truque, Kirk pega a arma de Alersa e deixa inconsciente aos guardas. Kirk diz a Alersa que não faria isso com uma outra mulher, e também deixa inconsciente Alersa com a arma. Peter vem dizer que veio lhe buscar porque não há sinal de seu localizador, e configurou o detonador para o ativar a distância. Os dois entram na cabine de Alersa, e acabam a missão. Quando Alersa vem, Spock transporta aos dois Kirks na Enterprise e ativam o desequilíbrio espacial. Cria-se um buraco de verme, e Alersa lamenta ter perdido e ter sido enganada, e a Enterprise chega a espaço da Federação. Kirk diz a Kyril que foi feita justiça, mas Kyron não está do todo satisfeito porque Alersa segue viva.

Ato 5 Editar

Data estelar 7233.1. Os reparos estão quase completos. A Frota Estelar reúne uma equipe que irá ao espaço peshano, e a zona morta abarca totalmente os sistemas peshano e meskano por tempo desconhecido. Kirk chama Chekov, e diz que sua ideia de canalizar os fêiseres através dos motores de dobra inutilizou por completo todos os sistemas de armamento, mas salvou a nave. Depois diz que Chekov é apenas o navegante mas vê coisas que os demais não vêem, e sua atitude é pessimista. Chekov acha que desapontou seu capitão, mas Kirk nomeia Chekov como Chefe de Segurança além de suas obrigações como navegante, e porá Peter sob seu comando. Depois Kirk fala de como é Peter, e detecta que Chekov está se lembrando de alguém. Chekov não pensa e diz que lembra Kirk.

Alkar Kyril diz adeus antes de se transportar à USS Lexington, onde agora trabalhará, e agradece a ajuda da Enterprise com a guerra dos meskanos. Especialmente a Kirk por se arriscar e se enfrentar ao poder de Alersa. Kirk diz que talvez não tenha solução, mas era necessário parar o massacre. Diz adeus, e é transportado. Spock diz que os peshanos são um povo valente em adotar uma solução que apresenta desafios tão complexos. Kirk diz que precisarão de ter muito valor para trabalharem juntos pelo bem comum, e termina o episódio.

Elenco Editar

Principais Editar

Convidados Editar

  • Barbara Luna como Alersa
  • Paul R. Sieber como Alkar Kyril

Baixadas Editar

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória