Fandom

Memória Alfa

Mais justo de todos

660 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Share

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Mais justo de todos
Continues 3.jpg
Série Star Trek: Phase II
Número 12
Título original Fairest Of Them All
Data de lançamento 12 de junho do 2014
Episódios
anterior
O lírio branco
seguinte
Divididos

Mais justo de todos é o episódio 12 da série fanon Star Trek: Phase II. Estreou-se em 12 de junho do 2014.

Argumento Editar

No Universo Espelho, o Spock enfrenta-se a uma eleição que determinará o futuro do Império Terrano. O Spock decide fazer um motim na ISS Enterprise à procura da paz.

Esta é uma continuação do episódio 39 (Espelho, espelho) da série original.

Resumo detalhado Editar

72px-Portugu%C3%AAs.svg.png

Esta é uma continuação do episódio 39 (Espelho, espelho) da série original.

No universo espelho, James T. Kirk do universo original insta a Spock a tomar o comando da ISS Enterprise, não destruir aos Halkans e encontrar uma maneira de fazer a paz para evitar que o Império Terrano se destrua. Então ele e a sua equipa de aterragem são transportados de volta ao universo original da Federação, enquanto os seus homólogos “malvados” regressam à realidade alternativa.

O malvado Kirk, agora ao comando de novo, está decidido a obter os cristais de dilítio dos Halkans ou destruí-los como um exemplo do que acontece com os que se atrevem a resistir-se ao Império Terrano. Os Halkans não estão dispostos a entregar os cristais e Kirk ordena disparar torpedos no seu planeta, após a rejeição duma solução diplomática recomendado por Spock. O ataque despiedado apagará por completo a civilização Halkan mas também destrói os cristais de dilítio no planeta. Spock assinala que a perda dos cristais não teria acontecido se o capitão tivesse seguido o seu conselho. Em frente a uma crítica inesperada e firme pelo seu primeiro oficial, um Kirk visivelmente nervoso deixa a ponte e vai à sua habitação.

Enquanto isso, três naves andorianas foram testemunhas do ataque imprudente aos Halkans e comunicaram à Enterprise que já não vão reconhecer a autoridade do Império Terrano, formalizando o início duma revolução. Spock informa ao capitão da aproximação das naves andorianas mas quando Kirk lhe ordena destruí-las se tentarem algum movimento agressivo, Spock nega-se a cumprir a ordem. Kirk reage ao acto de insubordinação activando o campo Tantalus, um dispositivo mortal oculto na sua habitação, para matar Spock. Inesperadamente, a equipa não parece funcionar. O capitão então chama aos seus guardas privados e dirigem-se à ponte para prender Spock.

Spock, enquanto isso, abandonou a ponte e convenceu Montgomery Scott para unir-se ao (agora explícito) tumulto. Tomam posse da sala de controlo auxiliar, desde onde têm o controlo total da navegação da nave. Outros membros da tripulação, enviados por Kirk para eliminar Spock, sentem-se atraídos pela filosofia pacífica promovida pelo vulcaniano e unem-se à rebelião também. Marlena revela a Spock que foi responsável pela desactivação do campo Tantalus quando Kirk tentou matar o seu primeiro oficial, mas que o dispositivo poderia ser utilizado agora para eliminar Kirk. Spock recusa-se a sugestão, respondendo que nenhuma revolução pode ter sucesso com os mesmos métodos aplicados pela anterior.

Quanto mais tempo passa, Kirk é mais abandonado pela sua tripulação e sente-se impotente, até o ponto de que o capitão Spock pede reunir-se no salão de oficiais, para discutirem o assunto numa maneira civil e para encontrarem um compromisso. Spock aceita o convite, muito consciente de que a reunião poderia ocultar uma armadilha. Quando os dois homens se enfrentam entre si, Kirk tenta disparar Spock mas o vulcaniano revela ao capitão que todas as armas se desactivaram através dum campo amortecedor. Kirk, enfurecido por não superar a tentativa, ataca o vulcaniano e durante uma pausa na luta grita os seus pensamentos a respeito da tripulação, afirmando que são só peões para alcançar as suas metas. Sem sabê-lo ele, as suas declarações transmitiam-se a toda a nave por Spock, que mostra à equipa da verdadeira natureza do seu líder. Dois guardas depois entram no salão de oficiais e, para surpresa de Kirk, prendem-no e finalmente neutralizam-no.

Spock dá-lhe uma lançadeira a Kirk e aos poucos membros da tripulação ainda leais a ele, para que possam alcançar o sistema habitável mais próximo. Spock afirma que ele é consciente do facto de que toda a frota terrana tentará parar à Enterprise e as suas tentativas de construir um império de paz. Na última cena, Spock toma o comando da ponte como o capitão e dá-lhe ao navegante a ordem de avançar “para adiante”.

72px-Brasil.svg.png

Essa é uma continuação do episódio 39 (Espelho, espelho) da série original.

No universo espelho, James T. Kirk do universo original insta a Spock a tomar o comando da ISS Enterprise, não destruir aos Halkans e encontrar uma maneira de fazer a paz para evitar que o Império Terrano se destrua. Então ele e sua equipe de aterrissagem são transportados de volta ao universo original da Federação, enquanto seus homólogos “malvados” regressam à realidade alternativa.

O malvado Kirk, agora ao comando de novo, está decidido a obter os cristais de dilítio dos Halkans ou os destruir como um exemplo do que acontece com os que se atrevem a resistir ao Império Terrano. Os Halkans não estão dispostos a entregar os cristais e Kirk ordena disparar torpedos em seu planeta, após a rejeição de uma solução diplomática recomendado por Spock. O ataque despiedado apagará por completo a civilização Halkan mas também destrói os cristais de dilítio no planeta. Spock assinala que a perda dos cristais não teria acontecido se o capitão tivesse seguido seu conselho. Em frente a uma crítica inesperada e firme por seu primeiro oficial, um Kirk visivelmente nervoso deixa a ponte e vai para seu quarto.

Enquanto isso, três naves andorianas foram testemunhas do ataque imprudente aos Halkans e comunicaram à Enterprise que já não vão reconhecer a autoridade do Império Terrano, formalizando o início de uma revolução. Spock informa ao capitão da aproximação das naves andorianas mas quando Kirk lhe ordena as destruir se tentarem algum movimento agressivo, Spock se nega a cumprir a ordem. Kirk reage ao ato de insubordinação ativando o campo Tantalus, um dispositivo mortal oculto em seu quarto, para matar Spock. Inesperadamente, a equipe não parece funcionar. O capitão então chama seus guardas privados e eles se dirigem à ponte para prender Spock.

Spock, enquanto isso, abandonou a ponte e convenceu Montgomery Scott para se juntar ao (agora explícito) tumulto. Tomam posse da sala de controle auxiliar, desde onde têm o controle total da navegação da nave. Outros membros da tripulação, enviados por Kirk para eliminar Spock, estão se sentindo atraídos pela filosofia pacífica promovida pelo vulcaniano e eles se juntam à rebelião também. Marlena revela a Spock que foi responsável pela desativação do campo Tantalus quando Kirk tentou matarseu primeiro oficial, mas que o dispositivo poderia ser utilizado agora para eliminar Kirk. Spock recusa a sugestão, respondendo que nenhuma revolução pode ter sucesso com os mesmos métodos aplicados pela anterior.

Quanto mais tempo passa, Kirk é mais abandonado por sua tripulação e está se sentindo impotente, até o ponto de que o capitão Spock pede para se reunirem no salão de oficiais, para discutirem o assunto de uma maneira civil e encontrarem um compromisso. Spock aceita o convite, muito consciente de que a reunião poderia ocultar uma armadilha. Quando os dois homens se enfrentam entre si, Kirk tenta disparar Spock mas o vulcaniano revela ao capitão que todas as armas se desativaram através de um campo amortecedor. Kirk, enfurecido por não superar a tentativa, ataca o vulcaniano e durante uma pausa na luta grita seus pensamentos a respeito da tripulação, afirmando que são apenas peões para atingir suas metas. Sem ele saber, suas declarações se transmitiam a toda a nave por Spock, que mostra à equipe da verdadeira natureza de seu líder. Dois guardas depois entram no salão de oficiais e, para surpresa de Kirk, prendem ele e finalmente é neutralizado.

Spock dá uma nave auxiliar a Kirk e aos poucos membros da tripulação ainda leais a ele, para que possam atingir o sistema habitável mais próximo. Spock afirma que ele é consciente do fato de que toda a frota terrana tentará deter a Enterprise e suas tentativas de construir um império de paz. Na última cena, Spock toma o comando da ponte como o capitão e lhe dá ao navegante a ordem de avançar “para adiante”.

Elenco Editar

Principais Editar

Convidados Editar

  • Asia DeMarcos como Marlena Moreau
  • Kipleigh Brown como Smith
  • Bobby Clark como Líder do Conselho Tharn
  • Bobby Quinn Rice como Kyle
  • Michael Dorn como a voz do computador

Baixadas Editar

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória