Fandom

Memória Alfa

Uma vida para lembrar

660 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Uma vida para lembrar
STP2 3.jpg
Série Star Trek: Phase II
Número 3
Título original World Enough and Time
Data de lançamento 23 de agosto do 2007
Episódios
anterior
Servindo toda a vida
seguinte
Sangue e fogo

Uma vida para lembrar é o terceiro episódio da série fanon Star Trek: Phase II. Estreou-se em 23 de agosto do 2007.

Argumento Editar

Data estelar 6283.4. Preso numa armadilha inter-dimensional, provocada por um teste de armas romulanas, o Hikaru Sulu é lançado 30 anos fora do seu próprio tempo. Quando ele retorna para a USS Enterprise, traz uma filha, Alana.

Resumo detalhado Editar

72px-Portugu%C3%AAs.svg.png

Introdução Editar

Na USS Excelsior (NCC-2000), o capitão Hikaru Sulu recebe na sua nave a lançadeira Sturgeon. Janice Rand fala com Sulu, e ele responde que tem o tempo todo do mundo. Então começa a lembrar quando estava a servir a bordo da USS Enterprise (NCC-1701)

A Enterprise está numa missão de auxílio, e o capitão James T. Kirk ordena entrar a Zona Neutral Romulana. A Enterprise encontra uma nave de carga da Federação Unida dos Planetas danada, mas uns romulanos vêm em três naves e destroem a nave de carga com uma nova arma. Kirk dá o alerta vermelho…

Acto 1 Editar

Data estelar 2683.6. Spock diz a Kirk que a nave de carga foi totalmente aniquilada, e então as três naves romulanas vêm atacar a Enterprise. Kirk ordena rapidamente disparar às naves, e as três naves são destruídas, mas aparece uma anomalia que deixa a Enterprise presa num campo multi-dimensional. O campo produz ondas de gravidade e ondulações no espaço-tempo. Kirk decide enviar uma mensagem a Rómulo no código cifrado romulano tentando ganhar tempo, e logo diz que os oficiais superiores se reúnam na sala de reuniões.

Na sala de reuniões, Montgomery Scott informa que o campo aparenta criar uma disrupção quântica e tudo o que apanha, simplesmente deixa de existir. De momento, os escudos protegem a nave, mas só têm 20 horas. Precisam das coordenadas exactas em todas as dimensões para escaparem, e a informação está nas naves romulanas. Scott diz que não tem a certeza de usar o transportador porque poderia falhar, e Kirk ordena a Hikaru Sulu pilotar uma lançadeira com alguém experto em tecnologia romulana até uma das naves para obterem informação.

O perito em tecnologia romulana é uma rapariga doutora chamada Lisa Chandris, quem chega tarde. Sulu diz que têm de ir depressa, e começam a missão. E Scott proteger-lhes-á com os escudos. Na lançadeira, a doutora Chandris revela que está a sofrer tonturas, e mentiu no exame para entrar na Frota Estelar. Numa nave romulana, Sulu e Chandris encontram os dados, mas quando voltam à lançadeira, o núcleo explora e a lançadeira cai ao vazio. Sulu pede a Scott um transporte de emergência, e os dois são transportados. Os transportadores falham, e Scott perde os seus sinais. Mas encontra um sinal no transportador, e resulta ser Sulu bem mais velho…

Acto 2 Editar

Sulu começa a atacar à equipa, e Spock acalma-o com o belisco dos vulcanianos e Sulu lembra à tripulação e surpreende-se porque todos estão iguais. Então Sulu lembra que falta alguém mais, e Kirk diz perderam o sinal da doutora Chandris, mas Sulu diz que ela morreu há 15 anos. Scott detecta mais um sinal, e Sulu ordena a Scott com uma faca trazê-la a bordo. Scott diz que o fará melhor se Sulu não tiver a faca apontando-lhe, e Scott materializa outra pessoa que é uma rapariga, e Sulu diz que é a sua filha Alana. Scott diz que não a pode transportar completamente, e tem a metê-la numa câmara de êxtase.

Na sala de reuniões, Sulu explica que em vez de materializar-se na Enterprise, estavam sobre a superfície dum planeta com umas cidades em ruínas. Havia vida selvagem e fruta, e puderam sobreviver. Ele e Chandris tiveram de começar a viver uma vida, e tiveram uma filha. Mas o que foram 30 anos para eles, foram 30 segundos para a Enterprise. Sulu não lembra nada da informação da nave romulana, e o tricorder ficou no planeta. Scott chama-lhes e diz que Alana está a esperar para ver-lhes.

Numa sala de engenharia, Alana está numa câmara de êxtase insubstancial, porque parte dela permanece unida a esse universo alternativo onde viviam. Spock sugere registar todos estes factos para a ciência. Alana surpreende-se porque está na Enterprise, como o seu pai disse que acabariam. Kirk saúda a Alana e diz a Sulu que precisa dele na enfermaria, e vão-se embora. Alana diz a Scott que o seu pai também lhe falou dele, e disse-lhe que não desejaria ter o seu fígado. Scott ri.

Na enfermaria, Spock faz uma fusão mental vulcaniana com Sulu, mas não alcança tirar informação, só descobrem como morreu Lisa, salvando a vida de Alana. Fora, Spock diz que têm que encontrar outro método, e o doutor Leonard McCoy enfada-se com Spock dizendo que Sulu tem de descansar, e Spock lembra que a nave se destruirá se não houverem encontrado nada numas horas. McCoy diz que há drogas hipnóticas, mas não são de uso corrente. Kirk ordena-lhe fazê-lo, e diz a Spock que têm de encontrar um plano B. Kirk propõe arranjar o seu cabelo e barba e buscar-lhe um uniforme. Mas McCoy diz que a sua lealdade acabou há 30 anos, e não é o homem que era. Scott diz a Kirk que a distorção gravitacional está a crescer, e ficam sem tempo. Kirk ordena a alerta amarela, e diz a McCoy que se quiserem escapar, precisarão do homem que era.

Acto 3 Editar

Spock diz a Kirk que há uma possibilidade, se fizerem uma reacção matéria-antimatéria de força suficiente para liberar a Enterprise, o campo implodirá. Kirk diz que há risco de implodir a nave também, mas diz que têm de começar a fazê-lo. Enquanto isso, Sulu fala com a sua filha e diz que Scott conseguirá trazê-la de novo à Enterprise totalmente, e ensinar-lhe-á várias coisas que falaram no planeta. Kirk vem e diz a Sulu que tem de ir à enfermaria, e Kirk ficará com Alana. Kirk começa a falar com Alana, e ela diz-lhe que o seu pai lhe falou que está sozinho, e lembra-lhe uma rapariga da Terra no passado que morreu, e Kirk diz que não quer lembrá-lo e o seu pai também não deveria falar disto. Alana pede-lhe perdão, e diz que tem de lembrar o passado, porque é tudo o que tem da sua mãe.

Spock vem dizer que gostaria de analisar Alana para obter informação sobre a implosão matéria-antimatéria, e Kirk informa a Alana que Spock examiná-la-á. Kirk vai-se embora, e Spock fica a analisar a Alana. Na enfermaria, Sulu está a ver uma imagem de Lisa Chandris, e McCoy põe-lhe as drogas hipnóticas, Sulu começa a dizer coisas, mas não diz nada sobre os dados da nave romulana. Enquanto isso, Alana fala com Spock de ser o único entre a tripulação que é vulcaniano, e Spock diz que prefere a solidão e tolera ser julgado muito melhor do que ser ignorado. Spock diz que acabou, e dar-lhe-á os dados a Scott.

McCoy diz a Kirk que não pôde tirar nada de Sulu, e têm de fazer a implosão. Mas a estrutura atómica de Alana está ligada ao hipercampo, e não tem a certeza de que fique na nave. Kirk pergunta se podem fazer mais alguma coisa com Alana, e logo Kirk vai com Alana e diz que pode caminhar pela nave. Ela surpreende-se. Na enfermaria, Nyota Uhura vem ver a Sulu, e ele diz que Uhura é mais nova do que a sua filha. Uhura vai à ponte, e McCoy diz a Sulu que pode sair da enfermaria. Sulu apanha as suas armas, ainda que McCoy diz que não precisa delas, e caminha pela nave enquanto a tripulação surpreende-se de Sulu.

Sulu vai ver Alana e encontra que não está, e Alana está num elevador com Kirk. Quando case se dão um beijo, Spock diz a Kirk que estão prontos para iniciar a implosão. Kirk transporta Alana à câmara de êxtase, e Sulu pergunta-lhe onde estava. Alana diz que estava com “Jim”, e pergunta-lhe ao seu pai se está ciumento. A Enterprise inicia a implosão, e Alana cai ao chão inconsciente. Spock diz que a implosão falhou, e seguem presos, mas agora só têm 32 minutos para serem destruídos.

Acto 4 Editar

Alana acorda, e Kirk sugere encontrar alguma coisa nova. Sulu diz que se Scott tiver as coordenadas do planeta, poderão transportar toda a tripulação ali, e estarão isolados mas salvos e vivos. Mas Scott diz que não se pode duplicar a onda de energia que enviou Sulu ao planeta, mas tem a firma original de Sulu do transportador, tal e como era, ao transportá-lo fora da nave romulana. Dizem-lho a Sulu, e ele diz a Alana que voltaria o homem que era antes de que Lisa e ele fossem transportados. As lembranças desaparecerão, mas os dados de navegação romulanos estarão frescos na sua mente.

Spock faz sair a Kirk, e fora, diz-lhe que Alana segue unida ao outro universo através do hipercampo. E quando forem livres, colapsar-se-á o campo, destruindo tudo o que estiver ligado a ele. Dizem-lho a Alana e a Sulu, e Sulu diz que prefere salvar Alana e que volte ao planeta sozinha, e Spock diz que 430 pessoas morrerão. Sulu tira uma espada e diz que não se importa quem morra, mas Alana diz ao seu pai que não permitirá que o faça, não poderia viver sabendo que todos se sacrificaram por ela. Sulu finalmente aceita.

Sulu fala com Alana antes de ser transportado, e logo desaparece e aparece a versão nova de Sulu. Acordam-no e levam-no à ponte. Kirk pergunta a Alana se gostaria de fazer alguma coisa, e logo aparece a ponte e Alana a observar à versão nova do seu pai. Sulu consegue liberar a nave, e Alana desaparece. E na cabine de Sulu, Kirk entra e Sulu diz-lhe que viu o que ocorreu. Sulu quer lembrar, e Spock diz que fez uma fusão mental com Sulu (velho), e poder-lhe-á devolver as suas lembranças se quiser, mas virá também dor. Sulu aceita.

30 anos mais tarde, a bordo da USS Excelsior, Sulu recebe a visita da sua filha, Demora Sulu. Na sua cabine, Sulu está a lembrar Alana, até que aparece Demora. Ela teve uma filha, que é neta de Sulu, e diz-lhe ao seu pai que lhe pôs o nome que pediu, Alana. Então Demora pergunta-lhe quem é Alana, e Sulu diz-lhe que teve uma irmã, Demora fica surpreendida e termina o episódio.

72px-Brasil.svg.png

Introdução Editar

Na USS Excelsior (NCC-2000), o capitão Hikaru Sulu recebe em sua nave a nave auxiliar Sturgeon. Janice Rand fala com Sulu, e ele responde que tem o tempo todo do mundo. Então começa a lembrar quando estava servindo a bordo da USS Enterprise (NCC-1701)

A Enterprise está em uma missão de auxílio, e o capitão James T. Kirk ordena entrar a Zona Neutra Romulana. A Enterprise encontra uma nave de carga da Federação Unida dos Planetas danada, mas uns romulanos vêm em três naves e destroem a nave de carga com uma nova arma. Kirk dá o alerta vermelho…

Ato 1 Editar

Data estelar 2683.6. Spock diz a Kirk que a nave de carga foi totalmente aniquilada, e então as três naves romulanas vêm atacar a Enterprise. Kirk ordena rapidamente disparar às naves, e as três naves são destruídas, mas aparece uma anomalia que deixa a Enterprise atrapada em um campo multi-dimensional. O campo produz ondas de gravidade e ondulações no espaço-tempo. Kirk decide enviar uma mensagem a Rômulo no código criptografado romulano tentando ganhar tempo, e depois diz que os oficiais superiores se reúnam na sala de reuniões.

Na sala de reuniões, Montgomery Scott informa que o campo aparenta criar uma disrupção quântica e todo o que pega simplesmente deixa de existir. Por enquanto, os escudos protegem a nave, mas só têm 20 horas. Precisam das coordenadas exatas em todas as dimensões para escaparem, e a informação está nas naves romulanas. Scott diz que não tem certeza de usar o transportador porque poderia falhar, e Kirk ordena a Hikaru Sulu pilotar uma nave auxiliar com alguém experiente em tecnologia romulana até uma das naves para obterem informação.

O experiente em tecnologia romulana é uma garota doutora chamada Lisa Chandris, quem chega tarde. Sulu diz que têm que se dar pressa, e começam a missão. E Scott lhes protegerá com os escudos. Na nave auxiliar, a doutora Chandris revela que está ficando tonta, e mentiu no exame para entrar na Frota Estelar. Em uma nave romulana, Sulu e Chandris encontram os dados, mas quando voltam à nave auxiliar, o núcleo explode e a nave auxiliar cai ao vazio. Sulu pede a Scott um transporte de emergência, e os dois são transportados. Os transportadores falham, e Scott perde seus sinais. Mas encontra um sinal no transportador, e resulta ser Sulu bem mais velho…

Ato 2 Editar

Sulu começa a atacar à equipe, e Spock acalma ele com o belisco dos vulcanos e Sulu lembra à tripulação e fica surpreendido porque todos estão iguais. Então Sulu lembra que falta alguém mais, e Kirk diz perderam o sinal da doutora Chandris, mas Sulu diz que ela morreu há 15 anos. Scott detecta mais um sinal, e Sulu ordena a Scott com uma faca trazê-la a bordo. Scott diz que o fará melhor se Sulu não tiver a faca lhe apontando, e Scott materializa outra pessoa que é uma garota, e Sulu diz que é sua filha Alana. Scott diz que não pode transportar ela completamente, e tem que meter ela em uma câmera de êxtase.

Na sala de reuniões, Sulu explica que em vez de se materializar na Enterprise, estavam sobre a superfície de um planeta com umas cidades em ruínas. Tinha vida selvagem e fruta, e puderam sobreviver. Ele e Chandris tiveram que começar a viver uma vida, e tiveram uma filha. Mas o que foram 30 anos para eles, foram 30 segundos para a Enterprise. Sulu não lembra nada da informação da nave romulana, e o tricorder ficou no planeta. Scott chama e diz que Alana está esperando para lhes ver.

Em uma sala de engenharia, Alana está em uma câmera de êxtase insubstancial, porque parte dela permanece unida a esse universo alternativo onde viviam. Spock sugere registrar todos estes fatos para a ciência. Alana fica surpreendida porque está na Enterprise, como seu pai disse que acabariam. Kirk saúda Alana e diz a Sulu que precisa dele na enfermaria, e vão embora. Alana diz a Scott que seu pai também falou dele, e disse que não ele desejaria ter seu fígado. Scott ri.

Na enfermaria, Spock faz uma fusão mental vulcana com Sulu, mas não consegue obter informação, só descobrem como morreu Lisa, salvando a vida de Alana. Afora, Spock diz que têm que encontrar outro método, e o doutor Leonard McCoy se enfada com Spock dizendo que Sulu tem que descansar, e Spock lembra que a nave se destruirá se não encontrar nada em umas horas. McCoy diz que há drogas hipnóticas, mas não são de uso corrente. Kirk ordena para fazê-lo, e diz a Spock que têm que encontrar um plano B. Kirk propõe arranjar seu cabelo e barba e buscar um uniforme para ele. Mas McCoy diz que sua lealdade acabou há 30 anos, e não é o homem que era. Scott diz a Kirk que a distorção gravitacional está crescendo, e ficam sem tempo. Kirk ordena o alerta amarelo, e diz a McCoy que se quiserem escapar, precisarão do homem que era.

Ato 3 Editar

Spock diz a Kirk que há uma possibilidade, se fizerem uma reação matéria-antimatéria de força suficiente para libertar a Enterprise, o campo implodirá. Kirk diz que há risco de implodir a nave também, mas diz que têm que começar a fazer isso. Enquanto isso, Sulu fala com sua filha e diz que Scott conseguirá trazer ela de novo à Enterprise totalmente, e lhe ensinará várias coisas que falaram no planeta. Kirk vem e diz a Sulu que tem que ir à enfermaria, e Kirk ficará com Alana. Kirk começa a falar com Alana, e ela lhe diz que seu pai falou que está sozinho, e lembram uma garota da Terra no passado que morreu, e Kirk diz que não quer lembrar isso e seu pai também não deveria falar disso. Alana pede perdão, e diz que tem que lembrar o passado, porque é todo o que tem de sua mãe.

Spock vem e diz que gostaria de analisar a Alana para obter informação sobre a implosão matéria-antimatéria, e Kirk informa a Alana que Spock a examinará. Kirk vai embora, e Spock fica analisando Alana. Na enfermaria, Sulu está olhando uma imagem de Lisa Chandris, e McCoy coloca as drogas hipnóticas nele, Sulu começa a dizer coisas, mas não diz nada sobre os dados da nave romulana. Enquanto isso, Alana fala com Spock de ser o único entre a tripulação que é vulcano, e Spock diz que prefere a solidão e tolera ser julgado muito melhor do que ser ignorado. Spock diz que acabou, e dará os dados a Scott.

McCoy diz a Kirk que não pôde obter nada de Sulu, e têm que fazer a implosão. Mas a estrutura atômica de Alana está unida ao hipercampo, e não tem certeza de que fique na nave. Kirk pergunta se podem fazer alguma coisa mais com Alana, e depois Kirk vai com Alana e diz que pode caminhar pela nave. Ela se surpreende. Na enfermaria, Nyota Uhura vem ver Sulu, e ele diz que Uhura é mais nova do que sua filha. Uhura vai à ponte, e McCoy diz a Sulu que pode sair da enfermaria. Sulu pega suas armas, embora McCoy diz que não precisa delas, e caminha pela nave enquanto a tripulação se surpreende de Sulu.

Sulu vai ver a Alana e encontra que não está, e Alana está em um elevador com Kirk. Quando quase se beijam, Spock diz a Kirk que estão prontos para iniciarem a implosão. Kirk transporta Alana à câmera de êxtase, e Sulu pergunta onde estava. Alana diz que estava com “Jim”, e pergunta ao seu pai se está ciumento. A Enterprise inicia a implosão, e Alana cai ao chão inconsciente. Spock diz que a implosão falhou, e seguem presos, mas agora só têm 32 minutos para serem destruídos.

Ato 4 Editar

Alana desperta, e Kirk sugere encontrar alguma coisa nova. Sulu diz que se Scott tiver as coordenadas do planeta, poderão transportar toda a tripulação ali, e estarão isolados mas salvos e vivos. Mas Scott diz que não pode ser duplicada a onda de energia que enviou Sulu ao planeta, mas tem a assinatura original de Sulu do transportador, tal e como era, ao transportar ele fora da nave romulana. Informam Sulu, e ele diz a Alana que voltaria o homem que era antes de que Lisa e ele fossem transportados. As lembranças desaparecerão, mas os dados de navegação romulanos estarão frescos em sua mente.

Spock faz sair a Kirk, e afora, diz que Alana segue unida ao outro universo através do hipercampo. E quando forem livres, se colapsará o campo, destruindo todo o que estiver unido a ele. Informam Alana e Sulu, e Sulu diz que prefere salvar Alana e que ela volte ao planeta sozinha, e Spock diz que 430 pessoas morrerão. Sulu pega uma espada e diz que não se importa comquem morra, mas Alana diz a seu pai que não permitirá que faça isso, não poderia viver sabendo que todos se sacrificaram por ela. Sulu finalmente aceita.

Sulu fala com Alana antes de ser transportado, e depois desaparece e aparece a versão jovem de Sulu. Despertam Sulu e levam ele à ponte. Kirk pergunta a Alana se gostaria de fazer alguma coisa, e depois aparece a ponte e Alana observando à versão jovem de seu pai. Sulu consegue libertar a nave, e Alana desaparece. E na cabine de Sulu, Kirk entra e Sulu diz que viu o que aconteceu. Sulu quer lembrar, e Spock diz que fez uma fusão mental com Sulu (velho), e lhe poderá devolver suas lembranças se quiser, mas virá também dor. Sulu aceita.

30 anos mais tarde, a bordo da USS Excelsior, Sulu recebe a visita de sua filha, Demora Sulu. Em sua cabine, Sulu está lembrando Alana, até que aparece Demora. Ela teve uma filha, que é neta de Sulu, e diz a seu pai que pôs o nome que pediu no bebê, Alana. Então Demora pergunta quem é Alana, e Sulu diz que teve uma irmã, Demora fica surpreendida e termina o episódio.

Elenco Editar

Principais Editar

Convidados Editar

  • George Takei como Hikaru Sulu (velho)
  • Christina Moses como Alana Sulu
  • Mimi Chong como Demora Sulu
  • Grace Lee Whitney como Janice Rand
  • Majel Barrett Roddenberry como a voz do computador
  • Lia Johnson como Dra. Lisa Chandris

Baixadas Editar

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória